Rua Teodoro Sampaio 352, conjunto 116 - São Paulo - SP (11) 4063-8334 Webmail Administrar
Idosos

Remédio Tarja Preta causa Doença de Alzheimer?

Um estudo muito bem feito, publicado no British Medical Journal em 2014, encontrou uma associação entre o uso dos chamados benzodiazepínicos e a Doença de Alzheimer.

Claro que este estudo teve grande repercussão. Dessa forma, muitos pacientes passaram a me questionar se “tarja preta dava Alzheimer”. 

Antes de responder, vou resumir os principais resultados da pesquisa:

  1. 49,8% dos idosos que desenvolveram Alzheimer haviam usado benzodiazepínicos enquanto 40% dos que não desenvolveram Alzheimer haviam também usado este tipo de medicação.
  2. No geral, houve um aumento de 1,5x na incidência de Alzheimer entre os que usaram benzodiazepínicos.
  3. Especificamente, para os que usaram por prazo maior do que seis meses houve um aumento de 1,84x.
  4. Eles testaram e não encontraram relação com fatores de confusão como ansiedade e depressão.

São dados relevantes e que devem ser levados em consideração antes de o médico decidir prescrever este tipo de medicação e, principalmente, antes de tomar a decisão de manter os benzodiazepínicos por tempo mais prolongado.

Devido às preocupações com a dependência da medicação, a orientação geral já é que se use por menos de 3 meses este tipo psicotrópico. Então, a ideia de limitar o tempo de uso não é nova. Este dado apenas agrega mais um motivo para tal precaução.

Por outro lado, é importante ressaltar que a população estudada foi de idosos. Eles estudaram o uso de benzodiazepínicos entre 5 e 10 anos antes do início da Doença de Alzheimer.

Sendo assim, caso você seja jovem e esteja usando uma medicação como essa, você não deve se preocupar com isso.

Talvez um ponto de corte seguro seja os 50 anos.

Além disso, vale lembrar que há casos em que estes remédios ajudam muito no controle dos sintomas de ansiedade.

Eles têm a vantagem da ação rápida, sendo muito úteis para tratar crises agudas de ansiedade.

Então, assim como toda medicação, os riscos e os benefícios da sua prescrição devem ser pesados por um médico habilitado.

Ademais, se a sua avó por exemplo usa benzodiazepínicos, isto não quer dizer que ela terá a Doença de Alzheimer.

Conforme o primeiro resultado, 40% dos idosos que não foram acometidos haviam sido expostos aos benzodiazepínicos.

Há uma série de outros fatores de risco para a Doença de Alzheimer, os benzodiazepínicos parecem estar entre eles.

Sendo assim, não se pode afirmar que benzodiazepínicos causam este tipo de demência, mas apenas que podem estar entre os fatores de risco para ela. 

Em suma, principalmente, para pessoas com mais de 50 anos a balança dos riscos e benefícios costuma tender para a não prescrição deste tipo de medicação. Para o controle da insônia e da ansiedade é melhor optar por outros fármacos.

No entanto, para os mais jovens que estejam sofrendo com crises de ansiedade e que precisam de uma resposta rápida, esta medicação continua sendo uma opção útil especialmente no início do tratamento.

Por Dr. Ivan Barenboim Médico Psiquiatra e Diretor da Clínica Ohr Psiquiatria
CRM 155.444 Registro de Qualificação de Especialista 53559

Deixe seu comentário

Powered by themekiller.com anime4online.com animextoon.com apk4phone.com tengag.com moviekillers.com