Depressão: saiba o que é e quais são os sintomas desse distúrbio

4 Min de Leitura
depressao 1

Considerada o “mal do século” pela Organização Mundial da Saúde, a depressão é uma doença psiquiátrica que atinge milhões de pessoas. Apesar disso, ainda é pouco compreendido.

Para você entender melhor esse distúrbio, preparamos este artigo completo sobre o que é depressão, quais são os sintomas, como formas de tratamento e como ajudar uma pessoa que convive com o problema. Confira!

O que é depressão?

Inicialmente, é preciso entender o que é depressão . É um distúrbio psiquiátrico crônico que provoca alterações neurobiológicas em áreas do cérebro a regulação emocional. Ela ocorre cerca de uma em cada cinco pessoas no mundo em algum momento da vida, segundo informações do Ministério da Saúde.

Apesar de muito difundida, a hipótese de depressão ser uma consequência de deficiência nos níveis de serotonina no cérebro já foi descartada. Atualmente, os pesquisadores entendem que esta patologia deriva de uma comunicação disfuncional entre as áreas do cérebro responsáveis ​​​​pela regulação emocional.

Há evidência de que o estresse gerado por situações difíceis ou indesejadas, como luto, traumas de infância, término de relacionamentos, brigas familiares, demissões, dificuldades financeiras, momentos de indecisão, pode dar início a um quadro depressivo.

Além disso, a ansiedade do distúrbio pode estar ligada a doenças sistêmicas, como o hipotireodismo, o consumo de drogas e o uso de alguns medicamentos como as anfetaminas.

Estudos ainda indicam que esses fatores podem ocasionar a doença em pessoas com predisposição genética. As emoções psicológicas e emocionais não são consideradas causas, mas consequências da depressão.

sintomas de depressão

O indivíduo com a doença pode sofrer uma série de sintomas, por isso o distúrbio é considerado incapacitante. Assim, é importante saber o que a depressão pode causar no indivíduo para entender melhor o problema.

A doença afeta crianças, adolescentes e adultos, e pode se desenvolver em quadros leves, moderados e graves, com intensidade e duração distribuídas. A seguir, confira quais são os principais sintomas de depressão .

  • alterações de humor como tristeza, irritabilidade e angústia;
  • falta de motivação, desânimo e apatia;
  • cansaço e perda de interesse por atividades antes prazerosas;
  • baixa autoestima, sensação de mortalidade e pessimismo;
  • sensação de vazio e de desamparo, medo e insegurança;
  • dificuldade de concentração;
  • perda da libido;
  • perda ou aumento de apetite e de peso;
  • insônia ou sonolência excessiva
  • sintomas físicos como dores e tensão no corpo, má digestão, dor de cabeça, pressão no peito, etc.

Ainda há uma série de outros sintomas. Em geral, ocorre uma interpretação distorcida da realidade aliada a sentimentos como falta de sentido na vida e inutilidade, o que pode levar a pessoa a atitudes extremas como tentativa de suicídio.

Por isso, buscar um médico psiquiatra especialista no tratamento da depressão é fundamental para ter um diagnóstico correto, assim como determinar o tratamento mais indicado.

Tratamentos para depressão

Quando se trata desse distúrbio psiquiátrico, é essencial receber um diagnóstico preciso para que o tratamento seja bem-sucedido. Após saber um pouco mais sobre a doença, conheça os tratamentos para depressão que podem ser indicados após avaliação médica.

Tratamento dos Traumas Psicológicos

O tratamento natural para depressão consiste em uma Terapia de Resolução de Traumas, focada nas causas psicológicas da doença. Ele é eficaz, não costuma apresentar efeitos adversos, tem um número determinado de sessões e pode ser acompanhado de intervenções biológicas naturais e fitoterápicas.

Essa terapia é recomendada para casos de pacientes com traumas ou histórias de vida conturbadas. O processo propõe retirar a importância emocional dos eventos para ajudar a pessoa a eliminar emoções tóxicas relacionadas a eles. Isso promove uma regulação do sistema límbico, o que reduz ou elimina os sintomas.

Tratamento convencional

O tratamento convencional prevê, em geral, o uso de medicação psicotrópica em conjunto com a psicoterapia. Ele é indicado para casos que são mais graves ou que não respondem a psicoterapia utilizada de forma ambulatorial.

Para adoção mais efetiva do tratamento convencional, pode-se utilizar um medicamento personalizado. Neste caso, isso significa incluir o teste farmacogenético, que visa auxiliar o médico a escolher os remédios prescritos na tentativa de melhorar os resultados deste tipo de abordagem.

Tratamento com cetamina

Uma vez que cerca de 40% das pessoas que se tratam com antidepressivos não têm resultados fortes, o tratamento com cetamina é uma opção. Inicialmente usada como anestésico, essa substância tem características peculiares e é adotada pela medicina em várias situações.

Estudos científicos demonstraram que a cetamina tem efeito antidepressivo intenso, em horas ou dias após a infusão, em cerca de 70% dos pacientes que não tiveram uma boa resposta ao tratamento convencional. Ela é indicada para casos de depressão maior unipolar, depressão bipolar e para casos em que há ideação suicida.

Normalmente, o protocolo inicial de tratamento consiste em oito infusões iniciais, em um período de quatro semanas. Em caso de melhora, é recomendado uma manutenção semanal ou quinzenal por alguns meses depois disso.

Vale lembrar que o diagnóstico de depressão e a definição do tratamento devem sempre ser feitos por um médico psiquiatra. Para a eficácia do processo, é necessário ter acompanhamento e avaliação periódica do especialista.

Tratamento com Estimulação Magnética Transcraniana

O tratamento da Depressão Maior com Estimulação​ Magnética Transcraniana (E​​MT) consiste em estimular uma área do cérebro com um campo eletromagnético, promovendo uma mudança no padrão elétrico de ativação.

Para tal, apoia-se um equipamento capaz de emitir o estímulo magnético na parte do cérebro que corresponde à área do cérebro que se pretende modular. Atualmente, o consenso é estimular a área do cérebro conhecida como córtex pré-frontal dorsolateral (DLPFC).

Essa parte do cérebro está localizada bem próxima ao crânio, na região frontal do órgão. Ela é associada a funções cognitivas e à regulação emocional. Posicionando-se o equipamento no local corrigido do crânio, a estimulação magnética transcraniana é capaz de regular redes neurais disfuncionais na depressão.

Assim, é possível promover o alívio ou a remissão dos sintomas de depressão. Vale ressaltar, por fim, que esse tratamento é extremamente seguro e, pelo menos, cinco vezes mais eficaz do que o placebo.

Clínica Ór: tratamentos para depressão

A Clínica Ór é especializada no tratamento para a depressão. Criada pelo médico psiquiatra Ivan Barenboim, em 2015, ela tem a proposta de possibilitar o acesso a tratamentos terapêuticos inovadores e eficazes.

Assim, na Clínica Ór, você pode conhecer mais sobre o tratamento com cetamina, estimulação magnética transcraniana e hipnoterapia para depressão, além de outras opções. Para saber mais sobre a doença e os tratamentos mais indicados, visite o site .

COMPARTILHE!

Clínica Ór Psiquiatria
Clínica Ór Psiquiatria

Clínica dedicada ao cuidado e tratamento de saúde mental. Oferecemos uma abordagem abrangente e personalizada para cada paciente.

Posts Relacionados

3 Min de Leitura

Clinica Or Psquiatria

16/02/2024

3 Min de Leitura

Clinica Or Psquiatria

14/02/2024

3 Min de Leitura

Clinica Or Psquiatria

09/02/2024